A pesquisa bibliográfica compreende etapas: a escolha do assunto; a delimitação do assunto: definição do tema; o estabelecimento de um plano provisório de trabalho.

A escolha do assunto

O assunto é amplo, é o universo de referência. A escolha do assunto implica alguns questionamentos. Primeiramente: Você tem algo a dizer? Em seguida, pergunta-se: O que você tem a dizer? O que você tem a expor? O que você tem a transmitir?

São fontes principais de inspiração na escolha do assunto: a observação direta, a reflexão, a experiência pessoal/profissional, a observação documental e/ou mercado de idéias, os seminários, os temas controversos.

Na escolha do assunto, alguns critérios devem ser levados em conta, tais quais: as próprias aptidões, as tendências e preferências do pesquisador; o significado e relevância do assunto na atualidade (relevâncias operativas, contemporâneas, humanas); o tempo disponível do pesquisador para poder desenvolver a pesquisa; a existência de bibliotecas, pois se deve verificar a disponibilidade de material de pesquisa (fontes e bibliografia) para consulta, incluindo a possibilidade de consultar especialistas da área em estudo;

A delimitação do assunto: definição do tema

Escolhido o assunto a próxima etapa envolve a escolha e delimitação do assunto (tema).

“Freqüentemente acontece de alunos terem projetos espetaculares de monografia ou tese, investirem tempo e esforço na definição do tema, objetivo, hipótese, metodologia, etc. e acabam “morrendo na praia” por falta de dados e informações. Minimize esse risco escolhendo pelo menos dois temas econômicos que o atraiam, o estimulem a investigar e a elaborar sua monografia. Faça um projeto preliminar e vá, imediatamente, em busca de dados. Se eles lhe permitirem elaborar o trabalho que mais lhe agrada, ótimo; caso contrário, parta para a segunda opção e assim por diante”. (ACCARINI, 2002)

Escolher um tema atual, relevante e que mereça ser investigado cientificamente exige do pesquisador: originalidade e unicidade.

Um assunto já tratado pode ser considerado original se estabelece uma abordagem nova ou se consegue estabelecer novas relações, propondo-se a apresentar uma interpretação diferente das já apresentadas a questões ou temas polêmicos e controversos.

Delimitação do tema (unicidade) é a característica que nos permite constatar quais aspectos de um dado assunto se deseja provar ou desenvolver, isto é, determinar o objetivo central de uma investigação científica.

A delimitação do tema poderá iniciar-se pela apresentação da dificuldade com a qual o pesquisador se defronta e que pretende resolver – formulação do problema; limitando o seu campo de pesquisa; contextualização do problema – além de apresentar as suas características. Destacando-se “[…] a gênese do problema, ou seja, como o autor chegou a ele, explicitando-se os motivos mais relevantes que o levaram à abordagem do assunto” (Severino, 1993; p. 124).

Na escolha do tema, também temos que levar em consideração o tempo disponível para a realização do trabalho de pesquisa. Quando a instituição determina um prazo para a entrega do relatório final da pesquisa, por exemplo, não podemos nos enveredar por assuntos que não nos permitirão cumprir este prazo. O tema escolhido deve estar delimitado dentro do tempo possível para a conclusão do trabalho.

Um outro fator a ser considerado na escolha do tema é a disponibilidade de material para consulta. Muitas vezes o tema escolhido é pouco trabalhado por outros autores e não existem fontes secundárias para consulta. A falta dessas fontes obriga o pesquisador a buscar fontes primárias que demandam um tempo maior para a realização do trabalho. Este fator, porém, não impede a realização da pesquisa, mas deve ser levado em consideração para que o tempo institucional não seja ultrapassado.

Ao se escolher um tema para o trabalho de pesquisa, é preciso ter um alto grau de interesse pessoal pelo assunto a ser trabalhado. Além de entusiasmo e dedicação, é preciso que o pesquisador tenha consciência de sua limitação de conhecimentos para não pesquisar um assunto em uma área em que não possui experiência ou vivência.

Na escolha do tema também devemos considerar a significação do tema escolhido, sua novidade, sua oportunidade e seus valores acadêmicos e sociais.

Exemplo:

Assunto: Violência

Tema: A violência contra a mulher

Em suma, delimita-se um tema, dividindo o assunto em partes; definindo ou conceituando; indicando sob que ponto de vista será focalizado o assunto; fixando circunstâncias: espaço-temporal e ideológicas; problematizando, isto é, levantando uma pergunta que ainda não foi respondida; suscitando uma curiosidade; formulando hipóteses.

Exemplo:

Assunto: Relações humanas
Tema: Violência
Delimitação do tema e título provisório: Violência urbana envolvendo adolescentes
Problema: Quais as causas da crescente violência urbana envolvendo adolescentes como agentes e como vítimas?
Hipótese(s): A violência urbana é decorrência da exclusão social.
A violência é resultado da inversão de valores, ou da falta de valores positivos dos jovens.A violência dos jovens é resultado da desestruturação da família.

A Hipótese

As hipóteses são suposições que se fazem na tentativa de explicar o que se desconhece. São provisórias devendo, portanto, ter suas validades verificadas.

Características: Uma hipótese possui caráter explicativo. Trata-se de uma solução provisória para o problema, com coerências externa (conhecimento científico) e interna (lógica), e passível de verificação empírica.

Fontes de Elaboração de Hipóteses: São fontes de elaboração de hipóteses o conhecimento comum, a observação, a comparação com outros estudos, dedução lógica de uma teoria, cultura geral na qual a ciência se desenvolve, analogias, experiência pessoal e casos discrepantes na própria teoria.

A hipótese escolhida deve explicar novas observações e novos fenômenos. O modelo relacionado a esta hipótese deve ser capaz de fazer previsões sobre fenômenos que ainda vão ocorrer. Se a hipótese estiver errada, dependendo do grau de erro, ela deve ser melhorada, parcialmente corrigida ou abandonada (trocada por outra hipótese). Se a hipótese é comprovada pelos testes, ela se torna uma tese. Uma tese é uma hipótese comprovada. A partir de teses também se criam modelos. Uma teoria é um conjunto de teses que explicam um mesmo fenômeno ou alguns fenômenos relacionados entre si e que já foi testada e comprovada em um grande número de experiências. (PENNAFORT).

Uma hipótese aplicável deve:

  • ser conceitualmente clara;
  • ser específica (identificar o que deve ser observado);
  • ter referências empíricas (verificável);
  • ser parcimoniosa (simples);
  • estar relacionada com as técnicas disponíveis;
  • estar relacionada com uma teoria.

O estabelecimento de um plano provisório de trabalho

O planejamento da pesquisa é a fase eminentemente provisória, onde nada é verdadeiro. A investigação é global, concretizada no levantamento bibliográfico e coleta de dados, na análise dos dados, na redação e revisão.

O levantamento bibliográfico é a localização e obtenção de documentos para avaliar a disponibilidade de material que subsidiará o tema do trabalho de pesquisa. É realizado junto às bibliotecas ou serviços de informações existentes.

A regra da pesquisa científica é o esgotamento do levantamento bibliográfico, que se dá amplamente desde as obras científicas clássicas até os artigos publicados nos periódicos científicos.

A procura de informações nas monografias, dissertações e teses é relevante, por serem essas ricas fontes de indicação bibliográfica científica. Dependendo do assunto escolhido, o material bibliográfico encontrado nas bibliotecas não será suficiente, sendo necessário captar ajuda em centros de documentação especializados e sites científicos.

A coleta de dados se faz através técnicas utilizadas no processo de busca; refere-se à parte prática da pesquisa, realizada através de entrevistas, questionários, formulários (consulte o capítulo “Técnicas de pesquisa qualitativa“).

A análise dos dados, juntamente com a redação, é um dos mais belos momentos da criação científica. Exige esforço de interpretação. A finalidade da pesquisa não é a acumulação de fatos, mas a sua compreensão e esta só se obtém aventurando e desenvolvendo hipóteses precisas. É a fase decisiva da pesquisa, que determinará o sucesso ou fracasso da redação. Uma análise bem realizada indica redação bem sucedida.

A redação significa passar para o papel, em forma de escrita, aquilo que pertence ao mundo das idéias. Não é uma tarefa fácil. São etapas da redação: a redação provisória (rascunho e esboço) e a redação definitiva (capa, apresentação, introdução, tabelas, gráficos, bibliografias, glossário, entre outros elementos).

As interpretações devem ser cuidadosas até o final do trabalho a fim de evitar entendimentos superficiais e perigosamente apressados, que darão origem a uma redação lacunosa, omissa, e, não raro, equivocada.

A revisão é a fase de reflexão global ou contemplação. Examina-se a obra dando-lhe os retoques finais. É o momento de avaliar o resultado do trabalho. Aconselha-se ser a revisão feita por uma outra pessoa que não seja o próprio pesquisador.

Quer facilitar sua vida?

Gostou deste Post ? E agora que você aprendeu isso, o que achou? Deixe seu comentário!

Etapas da Pesquisa Científica
Tags:         

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat