A elaboração de um trabalho de pesquisa envolve três momentos: momento decisório, momento de elaboração e momento de redação final do trabalho.

Momento Decisório

Escolher um tema significa eleger uma parcela delimitada de um assunto, estabelecendo limites ou restrições para o desenvolvimento da pesquisa pretendida. Nesta etapa você deverá responder à pergunta: “O que pretendo abordar?” O tema é um aspecto ou uma área de interesse de um assunto que se deseja provar ou desenvolver. Você deverá levar em conta, para a escolha do tema, sua atualidade e relevância, seu conhecimento a respeito, sua preferência e sua aptidão pessoal para lidar com o tema escolhido.

Após a escolha do tema da pesquisa, será construído um projeto inicial (provisório, pré-projeto) que vai orientar as etapas iniciais de elaboração do trabalho e dar origem ao projeto definitivo.

Momento de Elaboração

Elabore um plano de trabalho (sumário) e submeta-o a seu orientador, discuta-o com ele. Distribua os assuntos por capítulos, reservando sempre os finais para a discussão dos resultados e as conclusões (sugestões). A versão definitiva de sua monografia poderá ficar diferente do plano inicial de trabalho. Isso é ótimo por duas razões principais: a) evidencia que você evoluiu (plano é orientação e jamais “camisa-de- força”); b) é muito importante que você tenha um “plano de vôo” para facilitar a organização das idéias, orientar suas pesquisas e oferecer “sinais de alerta” para mudar o projeto original se necessário. (ACCARINI, 2002)

Este segundo momento, a elaboração de um trabalho científico, é o momento de busca ou de coletas de dados – que começou com o projeto inicial – e passou a ser sistematizado a partir do projeto definitivo.

No momento da elaboração do projeto inicial deverá ser feito um levantamento bibliográfico no qual serão identificadas as publicações que tratam do tema e do problema que se quer focalizar.

Esta seleção é mais superficial e se constitui de leituras de elementos que fornecem uma idéia sobre o tema, autores e o contexto de livros e outras publicações que poderão servir para consultas posteriores, tais como: sumários, introdução, prefácios, bibliografias e etc. Essa leitura superficial facilita a seleção das fontes bibliográficas que fundamentam uma pesquisa científica. Já no projeto definitivo, torna-se necessária uma leitura mais detalhada e crítica acompanhada de “anotações” que servirão de fontes de consulta para melhor compreensão do assunto e para elaboração da redação do trabalho.

Os dados obtidos na bibliografia consultada e os demais dados obtidos em outras fontes de pesquisa, como entrevistas e questionários, serão a base para a reflexão e para a discussão do problema que está sendo estudado. A partir desses dados, será construída a fundamentação teórica da pesquisa.

Coleta de Dados

“Reúna-se com colegas e troque idéias e leituras. Se souberem o que você pretende na monografia, poderão ajudá-lo de várias formas: informando-o sobre textos de seu interesse, oferecendo sua opinião, lendo os originais, descobrindo dados e informações, etc. A recíproca é verdadeira e, no final, todos ganharão com isso. Vivemos num mundo extremamente competitivo mas, no Curso, procure trabalhar cooperativamente”.(ACCARINI, 2002)

Elaborado o projeto, passa-se à etapa de coleta de dados.

Nesta etapa que se desenvolve a partir do roteiro de idéias previamente elaborado, parte-se para a leitura da documentação tendo-se o cuidado de observar o critério de atualidade, uma vez que as obras mais recentes costumam fazer uma retrospectiva das contribuições do passado.

À medida que se faz a leitura do material como livros, revistas e outros, sempre tendo presente o objetivo da pesquisa, torna-se necessário que seja feito o fichamento do material lido que, segundo Severino (1993), constitui a matéria-prima para o trabalho monográfico.

A coleta de dados também pode envolver uma pesquisa de campo. Uma vez adotada esta metodologia torna-se necessário registrar os dados obtidos, seja em forma textual e/ou seguindo as normas para tratamento estatístico, se for o caso.

Análise dos Dados

Os dados coletados apresentam-se muitas vezes dispersos, em função da multiplicidade de fontes consultadas e das diferentes abordagens em relação ao tema de pesquisa.

Deste modo, estes dados deverão ser tratados considerando-se os objetivos do trabalho. Esta etapa envolve a classificação e a organização de informações, verificação das relações existentes entre os dados coletados: pontos de convergência e divergência, tendências e regularidades. Algumas vezes, dependendo do recurso utilizado para a coleta dos dados, torna-se necessário submetê-lo a tratamento estatístico. Os dados quantitativos deverão ser seguidos de análise qualitativa.

O levantamento de dados e o teste empírico da hipótese formulada na monografia constituem etapas estratégicas na elaboração de um trabalho. Procure cumpri-las o quanto antes possível. Tendo pronto o cerne de sua monografia, você ficará psicologicamente mais tranqüilo e solto para desenvolver o restante do trabalho com muito mais eficiência.

Não somos os mesmos todos os dias (felizmente). Às vezes a inspiração para escrever está em alta; aproveite ao máximo a fase e vá escrevendo sem muito compromisso com a forma, tamanho e ortografia. Há, contudo, dias em que seu esforço parece em vão: é difícil desenvolver idéias e a inspiração, cadê? A solução é parar e esperar a inspiração voltar? Não pense assim. Existem diversas tarefas cujo desempenho não é intensivo em inspiração: organizar tabelas, anexos, referências bibliográficas, consultar novas referências teóricas e práticas sobre o assunto. Reler criticamente o que já escreveu e, por que não? fazer uma pausa reflexiva e reparadora também é muito produtivo. Se procurar, encontrará formas de conferir utilidade máxima às horas de trabalho e estudo.

Momento Redacional

Estabeleça e cumpra metas e prazos, mas sempre deixe alguns dias como ‘reserva’ para acomodar eventuais replanejamentos de cronograma. Quanto antes tiver a primeira versão da monografia, mais tranqüilo ficará e, assim, sua inteligência emocional trabalhará sinergicamente com sua inteligência racional e tudo será mais fácil. Não se esqueça de que o tempo de seu orientador é escasso e, assim, quanto antes você entregar-lhe a versão preliminar da monografia, mais chance ele terá de ajudá-lo. Antes de procurar seu orientador, faça um esforço para encontrar a resposta; isso faz parte do processo de aprendizado. Se não conseguir, pelo menos pense em alternativas de solução. Antes de passar-lhe um texto para leitura, pergunte-se sempre: isto é o melhor que posso fazer por enquanto? Você descobrirá que pode ir muito mais longe se usar de forma mais criteriosa, seletiva e dirigida o tempo de seu orientador (ACCARINI, 2002).

O terceiro momento pressupõe que a parte exploratória do trabalho esteja parcialmente concluída.

Quer facilitar sua vida?

Gostou deste Post ? E agora que você aprendeu isso, o que achou? Deixe seu comentário!

Etapas de Elaboração de Um Projeto de Pesquisa
Tags:         

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat