Hoje é prática corrente a elaboração de artigos destinados a serem apresentados em conferências da sua especialidade. Como a generalidade das conferências satisfaz a tradição das conferências científicas, é importante cumprir o formato típico dos artigos científicos.

O artigo científico tem como finalidade maior, comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Além de ser um bom veículo para clarificar e depurar suas idéias, os artigos científicos mensuram a produtividade qualitativa e quantitativa individual dos autores e das instituições a qual servem. Com isso explicitam a metodologia empregada, os objetivos da pesquisa, os procedimentos empregados e os resultados alcançados.

Em outras palavras, o artigo científico é um estudo resumido sobre um tema, que trata de questões de natureza científica sem, no entanto, se constituir em um livro. Pela sua dimensão e conteúdo representam os resultados de estudos realizados. De modo geral, são publicados em revistas, jornais e periódicos especializados.

Os artigos podem ser de dois tipos:

  • Original: quando apresentam abordagens ou assuntos inéditos e podem ser comunicação, notas prévias ou relatos de caso.
  • Revisão: quando abordam, analisam ou resumem informações já publicadas. Artigo científico: apresentação

Para a apresentação do artigo científico, é necessário seguir as orientações da ABNT para apresentação de artigos científicos impressos: a NBR 6022, 2003.

O artigo científico deve conter abordagens atuais, novas, diferentes. E ao submeter um artigo a uma revista, se informe sobre as normas editoriais da mesma.

A estrutura de um artigo de publicação periódica é composta por elementos pré- textuais, elementos textuais e elementos pós-textuais.

Os elementos pré-textuais devem estar presentes na primeira folha do artigo.

São eles:

Título

O título deve descrever de forma lógica, rigorosa, breve e gramaticalmente correta a essência do artigo. Por vezes, opta-se por títulos com duas partes, ou seja, título e subtítulo, sendo que ambos devem figurar na página de abertura do artigo, na mesma língua do texto, seguido de versões para outros idiomas, quando esta for uma orientação do departamento de editorial da revista.

Autor e colaboradores

Indicação do nome completo do autor (ou autores) na forma direta, acompanhados de um breve currículo (indicado em nota de rodapé) que qualifique o autor na área de pesquisa do artigo.

O currículo

Inclui o endereço eletrônico (e-mail) para contato, deve aparecer em nota de rodapé.

Resumo na língua do texto

O resumo não deve exceder 250 palavras e deve especificar de forma concisa os objetivos, a metodologia e os resultados alcançados. Não deve conter citações “Deve ser constituído de uma seqüência de frases concisas e não de uma simples enumeração de tópicos. Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular.” (ABNT. NBR-6028, 2003, p: 2);

“Deve-se entrar na essência do resumo logo na primeira frase, sem rodeios introdutórios nem recorrendo à fórmula estafada ‘Neste artigo… ‘. Não se devem citar referências bibliográficas no resumo.” (FIGUEIREDO, 1998).

Palavras-chave

Conforme a NBR 6028 (2003, p: 2), as palavras-chave devem figurar logo abaixo do resumo, antecedidas da expressão ‘Palavras-chave’ separadas entre si por dois pontos (:). Estas palavras são normalmente utilizadas para facilitar a elaboração posterior de um índice de assunto, bem como para permitir que o artigo seja, por exemplo, posteriormente encontrado em sistemas eletrônicos de pesquisa. Portanto, devem escolher-se palavras-chave tão gerais e comuns quanto possível.

Cada instituição ou revista científica geralmente tem o seu próprio modelo de elementos pré-textuais do artigo.

Os elementos apresentados aqui estão em 99% dos artigos em revistas especializadas e podem ser adaptados a maioria delas.

Portanto, antes de submeter seu artigo, veja no website da revista se existe um modelo a ser seguido.

O Programa TCC também formata Artigos Científicos

Elementos textuais

Os elementos textuais compõem o texto do artigo. Dividem-se em introdução, desenvolvimento e conclusão.

Introdução

A introdução expõe o tema do artigo e relacioná-lo com a literatura consultada. Além disso, deve apresentar os objetivos do artigo, juntamente com sua finalidade. Por ser o primeiro elemento textual explicativo do autor para o leitor, a introdução também deve esclarecer a natureza do problema cuja resolução se descreve no artigo.

Uma revisão de literatura, que faz referência à trabalhos anteriores que abordam o mesmo tema e que tenham embasado o desenvolvimento do presente trabalho, pode ser incluída na introdução.

A introdução fornece ao leitor o enquadramento para a leitura do artigo, e deve esclarecer:

  • A natureza do problema cuja resolução se descreve no artigo;
  • A essência do estado da arte no domínio abordado (com referências bibliográficas) e,

♦ O objetivo do artigo e sua relevância para fazer progredir o estado da arte.

Quando for caso disso, deve incluir ainda:

  • Indicação dos métodos usados para atacar o problema e,
  • Descrição da forma como o artigo está estruturado. Desenvolvimento Constitui a descrição, ao longo de vários parágrafos, de todos os pontos relevantes do trabalho realizado. E se necessário, o artigo pode ser subdividido em seções e subseções (Material e métodos; Resultados e discussão) conforme a NBR6024, 2003. Lembrando que o Indicativo Numérico da seção precede o título (da seção) alinhado à esquerda.

“Não se utilizam ponto, hífen, travessão ou qualquer outro sinal após o indicativo da seção ou de seu título.” (NBR 6024, 2003, p.2).

Material e métodos ou Metodologia

Descrição precisa dos métodos, materiais, técnicas e equipamentos utilizados no desenvolvimento da pesquisa, de modo a permitir a repetição do experimento ou estudo por outros pesquisadores com a mesma exatidão que foi feita pelo autor do artigo.

Resultados e discussão

Esta subdivisão envolve a classificação e organização de informações, verificação das relações existentes entre resultados alcançados, ou seja, seus pontos de convergência, tendências e regularidades. Esses mesmos dados deverão ser confrontados e relacionados aos objetivos do trabalho, ao problema e às questões propostas para estudo.

Os artigos de revisão, ou seja, os artigos que abordam, analisam ou resumem informações já publicadas, não devem possuir as subseções material e métodos e resultados e discussão.

Conclusão

A conclusão deve destacar os resultados obtidos na pesquisa ou estudo, principalmente aos dados correspondentes aos objetivos e hipóteses inicialmente apresentados na introdução e que respondem à questão-problema da pesquisa. O texto deve ser breve, podendo incluir recomendações e sugestões para trabalhos futuros.

Elementos Pós-Textuais

Título e subtítulo

Se houver em língua estrangeira.

Resumo em língua estrangeira

Versão do resumo apresentado no idioma exigido pelas normas da revista. Seguido das Palavras-chave no mesmo idioma deste segundo resumo.

O resumo é denominado abstract em inglês; resumen em espanhol; résumé em francês; riassunto em italiano e Zusammenfassung em alemão.

Agradecimentos (opcional)

Um artigo científico resulta com freqüência do empenho de muita gente, para além dos que o assinam como autores – elementos da equipa e amigos que contribuíram, de uma forma ou outra, para a sua existência e qualidade. É neste ponto de um artigo científico (entre as “Conclusões” e as “Referências”) que se colocam os “Agradecimentos”. Quando a atividade que conduziu ao artigo é total ou parcialmente financiada por uma instituição diferente da que é indicada como sendo de filiação do autor, é também aqui que se mencionam os apoios. Várias instituições de financiamento exigem formalmente que o seu apoio seja referido neste ponto. Mesmo que tal não fosse obrigatório, faz parte das regras de boa cordialidade científica mencionar aqui as instituições que apoiaram o trabalho.

Anexos e apêndices (elemento opcional)

Os anexos são “textos ou documentos não elaborados pelo autor, que servem de fundamentação, comprovação e ilustração” (NBR 14724, 2002, p. 2). Já os apêndices são os “Textos ou documentos elaborados pelo autor a fim de complementar o texto principal” (NBR 14724, 2002, p. 2).

Referências

Trata-se de uma listagem dos livros, artigos ou outros elementos bibliográficos que foram referenciados ao longo do artigo de acordo com a NBR6023 da ABNT.

Dicas:

♦ Escreva parágrafos e sentenças curtos: nos parágrafos use no máximo 400 caracteres, o que significa 6 linhas de texto. As frases devem conter uma ou duas idéias, não mais para facilitar a leitura;

♦ Sem floreios: o texto só deve ter as palavras suficientes. Cada frase, cada palavra deve lutar para sobreviver. Se não fizer diferença, corte;

♦ Transforme grandes parágrafos em listas com destaque: as pessoas compreendem melhor a informação dividida;

♦ Use verbos fortes em lugar de fracos e sempre a voz ativa: os verbos fortes dão credibilidade ao texto e a voz ativa traz agilidade na leitura, além de evitar a monotonia;

♦ Use sempre palavras curtas ao invés de seus sinônimos maiores: substitua todas as expressões e palavras grandes por palavras curtas e fáceis;

♦ Evite metáforas elaboradas: muitas pessoas passam os “olhos no texto”, não lendo todo o conteúdo. Assim, os leitores podem pular trechos do seu texto e perder ‘o fio da meada’;

♦ E, por último, imprima o texto e corrija-o: a tela do computador dificulta a leitura, sugerimos, então que você imprima seu artigo para correção. Você também deve ler seu texto em voz alta para descobrir as frases mal escritas;

♦ Os anexos e apêndices são indicados por letras maiúsculas e consecutivas, por exemplo: ANEXO A; ANEXO B; APÊNDICE A; APÊNDICE B.

Quer facilitar sua vida?

Gostou deste Post ? E agora que você aprendeu isso, o que achou? Deixe seu comentário!

Como fazer um Artigo Científico
Tags:         

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat