Em função da dinâmica que é o processo de aquisição de conhecimento, cabe destacar alguns meios de aquisição e divulgação das informações científicas. São eles: os congressos, simpósios, conferências, semanas científicas, jornadas, dentre outros, além da publicação de um artigo científico.

♦ Congresso: promovido por entidade associativa para debate de assunto de uma ou várias áreas profissionais.
♦ Jornada: versão sintética de um congresso. Geralmente abrange uma área geográfica.

♦ Mesa-Redonda: debate entre especialistas sobre tema de interesse controverso.
♦ Seminário: exposição verbal de um tema por um ou vários apresentadores para os participantes que devem ter conhecimento prévio do assunto.

♦ Simpósio: reunião de apresentações rápidas de vários estudiosos sobre diferentes aspectos de um tema complexo.

Habitue-se a ler os murais informativos de sua universidade, de seu local de trabalho ou estágio acadêmico, nesses ou murais encontramos as divulgações sobre os eventos.

Habitue-se na sua vida acadêmica tanto a participar destes encontros profissionais e quanto a divulgar os seus trabalhos e estudos realizados nas disciplinas de graduação. Você adquire conhecimento e incrementa o seu currículo.

Neste período, quais congressos profissionais estão previstos. Cite dois: -________________________________________________________ -________________________________________________________

Em qual (is) você vai inscrever o seu estudo/pesquisa? -________________________________________________________

De que forma você irá inscrevê-lo?

( ) pôster?
( ) tema livre?
( ) comunicação coordenada?

Preparação de slides

Nesta fase de divulgação, a apresentação oral pode ter como apoio slides, cartazes ou transparências. Ao elaborar este material de apoio lembre-se das seguintes orientações de Garson Jr. A. et. al. (1986):

a) Inicie com o título (sempre com todas as letras em maiúsculo), para as demais informações faça uso de letras em minúsculo;

b) não polua o layout do material de apoio. Utilize no máximo 7 linhas e 7 palavras por linha;

c) não use letras pequenas demais, além de causarem desconforto, muitos não conseguem ler à longa distância;

d)  evite abreviações;

e)  em apresentação de tabelas com 2 colunas, utilize no máximo 4 linhas;

f)  em gráficos de barra use no máximo 8 barras por elemento;

g)  se mostrar dados de outros autores, coloque as referências bibliográficas;

h)  aponte os tópicos no material visual para orientar a platéia e use as mesmas palavras dos tópicos.

Finalmente, durante a apresentação oral de seu trabalho acadêmico, devem ser evitados os modismos de linguagem, que são expressões inexistentes no português, ou mesmo existentes, mas usadas em sentido diferente ao original. São exemplos dos modismos: abrir as comportas, administrar a vantagem, a nível de, chocante, conquistar o espaço, correr atrás do prejuízo, deitar e rolar, em grande estilo, em termos de, em última análise, entrar em rota de colisão, extrapolar, imperdível, junto a, pano de fundo, praticar preços ou juros, receber sinal verde, sentir firmeza e trocar farpas.

Preparação da apresentação oral dos trabalhos

Uma boa apresentação oral começa com a elaboração de um bom resumo. Um resumo que contenha uma ou duas frases introdutórias, os objetivos da pesquisa, a metodologia utilizada e os resultados obtidos, além da conclusão. Faça isso com antecedência. Escreva o que vai falar durante a apresentação, este procedimento deixará você mais seguro(a) e, certifique-se de que sua apresentação oral responde as seguintes perguntas:♦  “O que te fez pensar no assunto?” = introdução;

♦  “Por que você fez a pesquisa?” = objetivos e hipóteses;

♦  “Como foi feita a pesquisa?” = delineamento da metodologia utilizada; descrição da população: seleção, critérios de inclusão e exclusão;

♦ “Quais os resultados alcançados?”= procure uniformizar os resultados alcançados;

♦ “O que você aprendeu?” = apresentar uma conclusão a qual deve estar relacionada aos objetivos do trabalho. Para concluir, o palestrante ainda pode apresentar a significância social do estudo, ou seja, em que a pesquisa irá ajudar a comunidade, além de possíveis recomendações ou sugestões.

Heródoto Babeiro (2003) fez uma série de recomendações úteis à construção de uma apresentação oral.

Entre elas destacam-se:

a) Tenha sempre um norte em sua apresentação. Antes da palestra, exerça seu espírito crítico e veja se o que vai dizer tem coerência, por mais polêmico que possa ser. Polêmica o auditório aceita, até gosta; incoerência não;

b) a dica é treinar. Fazer e refazer aquilo que provoca medo. Nada Melhor para combater o medo de falar em público do que o treino. Não paga imposto. Não tem contra-indicação. A prática constante aprimorará suas qualidades de liderança e você estará apto (a) a fazer apresentações e palestras sempre que necessário;

c) é preciso demonstrar entusiasmo sobre o que se está falando. Se o tema proposto não é do seu agrado, só há duas saídas: prepare, treine, treine, treine de novo, encha o peito e vá em frente, ou desista da apresentação. Como você não é alguém de desistir, e sim de aceitar desafios… só há uma alternativa;

d) não tema a si mesmo (a). Aprenda quem você é, pois assim vai saber utilizar sua sabedoria em prol de uma boa apresentação;

e) prefira as apresentações construídas, treinadas e treinadas. O texto decorado tira a naturalidade e dá a sensação de que o palestrante só sabe o que decorou;

f ) para aprender a falar em público é necessário entender que um fracasso não é fatal e somos sempre capazes de nos recuperar de uma apresentação não tão boa. A próxima sempre será melhor do que a atual, portanto só pode dar certo;

g) não fique amuado (a) com as pessoas que o (a) criticaram mais duramente. Lembre-se de que elas foram as que sempre mais influenciaram sua vida. Elas querem a nossa melhoria. Os críticos não devem ser tomados como inimigos;

h) mantenha uma seqüência lógica de idéias. Fácil de a platéia acompanhar;

i ) realce as palavras e frases mais importantes;

j) cuide da linguagem corporal (Postura firme e segura; dê um objetivo a seus movimentos);

k) apresentações devem ter começo, meio e fim. Na hora de escrever ou preparar o tema, só não esqueça de que nada está tão bom que não possa ser melhorado, nem tão ruim que não possa ser piorado;

l ) saber encerrar bem uma palestra é uma atividade que a gente consegue com a prática. Por mais óbvio que isso possa parecer, tem pessoas que termina sem concluir o raciocínio ou então vai e volta e não encerra.

Quer facilitar sua vida?

Gostou deste Post ? E agora que você aprendeu isso, o que achou? Deixe seu comentário!

Como divulgar as informações científicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat