Escrever é um ato individual e solitário. É o momento em que se fecham as portas do exterior e se abrem as portas do mundo interior para nele o indivíduo mergulhar.

E essa tarefa não é tão simples. As pessoas não estão acostumadas a viver sós com seus pensamentos e sensações. Procura-se de uma forma ou de outra alternativas que favoreçam um contato mais constante com uma realidade física ou social. Recorre- se a situações que conduzam a uma comunicação seja como emissor, seja como receptor. A própria tecnologia de comunicação (televisão, rádio, telefone, cinema, internet) oferece aos indivíduos oportunidades para fugir a uma situação de solidão. Se o estar só assusta as pessoas, é evidente que o ato da escrita, uma atividade essencialmente solitária, também assusta as pessoas. Ao se colocar diante de uma folha em branco, o indivíduo perde um contato mais estreito com a realidade física e social e embarca só para um vôo em seu universo interior.

Quem não está acostumado a realizar este vôo se perde no emaranhado de suas idéias, pensamentos e sentimentos. O mundo interior está confuso e desorganizado. Não se sabe qual caminho a seguir. Não se sabe o que existe neste mundo tão próximo, mas ao mesmo tempo tão distante.

Mesmo que o objeto da escrita seja um acontecimento, algo relacionado a uma realidade basicamente física, é difícil para o indivíduo escrever. Isso porque a realidade interior somente adquire significado e organização a partir de uma realidade interior. E o escrever significa reorganizar a realidade exterior sob o prisma da realidade interior.

Dentro desse quadro, fica difícil entender a proposta de uma redação que não seja antecedida de uma preparação adequada. O professor que exige dos alunos uma redação porque eles estavam tendo atitudes indisciplinadas, ou o professor que simplesmente escreve na lousa um tema e, sem qualquer comentário, pede aos alunos que escrevam, esse professor certamente não está oferecendo aos alunos as condições mínimas para o ato da escrita. É evidente que a maioria dos alunos terá sérias dificuldades para escrever. Faltou aquecimento para o ingresso no universo interior. Faltou preparação mínima para um contato inicial com as idéias, os pensamentos e os sentimentos. E o aluno entra cego no seu mundo interior e nada vê. Conseqüentemente, escreverá coisas tão confusas ou superficiais quanto confuso e distante será o seu interior.

Por isso, estimular o ato da escrita é sinônimo de ensinar ao aluno o mergulho em sua interioridade e os caminhos do raciocínio (in Metodologia do Ensino de Redação, Hermínio Sargentim).

Neste processo de desenvolvimento do texto, elaborar o rascunho deve ser um caminho natural. Como sugere muito bem Hélio Consolaro, o professor deve exigir a apresentação do rascunho anexo ao texto definitivo. Isso se faz necessário para criar o hábito. O aluno precisa saber o motivo da exigência e a utilidade do rascunho, pois tal fase é feita naturalmente pelo escritor, pelo jornalista, pelo advogado. Só os broncos e arrogantes dispensam o rascunho.

Precisa ficar bem claro para o aluno que o rascunho não é apenas uma exigência chata do professor, assim como ele precisa saber usá-lo. Se o aluno mecanicamente passa do rascunho para o texto definitivo, sem uma leitura crítica (sua ou de seu colega) ele de fato vai se tornar uma atividade enfadonha.

Como forma de educar o aluno para a feitura do rascunho, é bom pedir para cada um entregá-lo a um colega para que olhos estranhos procedam à revisão. Quando a redação é feita em casa, peça para o aluno “deixar o texto descansar”, ou seja, só passar a limpo horas depois ou no dia seguinte. Dessa forma, ele ganhará distanciamento crítico e descobrirá os erros que seriam despercebidos caso passasse o texto a limpo imediatamente.

Assim como estimular o ato da escrita deve ser um momento de educarmos o pensamento e nossa interioridade, a correção dos textos também deve ser um ato de prazer. Hélio Consolaro em seu portal de língua portuguesa na internet apresenta oito princípios básicos que merecem ser considerados:

1. O erro é uma oportunidade para que se dê o processo ensino- aprendizagem. Não fazer drama em cima do erro do aluno: banho de sangue. 2. Ninguém erra voluntariamente. Não inibir o aluno de escrever, mesmo que erre muito.

3. Escrever para alguém corrigir é uma situação artificial. Ninguém escreve para as gavetas, esta é a função social da linguagem.
4. Uma boa correção começa numa proposta de redação bem elaborada. Estabelecer critérios previamente.

5. Discutir o conteúdo, mas privilegiar a forma.
6 . Um rascunho é muito importante, e a reescrita do texto avaliado também se faz necessária.
7. A obediência às regras da Gramática Normativa é apenas um aspecto a ser avaliado porém, não é tudo.

8. Fazer exercícios micro estruturais: estruturação do período e do parágrafo.

Exercícios micro estruturais: estruturação do período e do parágrafo

A dissertação é uma exposição, discussão ou interpretação de uma determinada idéia. Pressupõe um exame crítico do assunto, lógica, raciocínio, clareza, coerência, objetividade na exposição, um planejamento de trabalho e uma habilidade de expressão.

No discurso dissertativo propriamente dito, não se verifica, como na narração, progressão temporal entre as frases e, na maioria das vezes, o objeto da dissertação é abstraído do tempo e do espaço.
Alguns pontos essenciais desse tipo de texto são:

Toda dissertação é uma demonstração, daí a necessidade de pleno domínio do assunto e habilidade de argumentação;

Em conseqüência disso, impõem-se a fidelidade ao tema;

…A coerência é tida como regra de ouro da dissertação;

…impõem-se sempre o raciocínio lógico;

…a linguagem deve ser objetiva, denotativa; qualquer ambigüidade pode ser um ponto vulnerável na demonstração do que se quer expor. Deve ser clara, precisa, natural, original, nobre, correta gramaticalmente. O discurso deve ser impessoal (evitar-se o uso da primeira pessoa).

O parágrafo é a unidade mínima do texto e deve apresentar: uma frase contendo a idéia principal (frase nuclear) e uma ou mais frases que explicitem tal idéia.

Exemplo: “A televisão mostra uma realidade idealizada (idéia central) porque oculta os problemas sociais realmente graves” (idéia secundária).

Exercício 1:

Desenvolva as idéias apresentadas, construindo frases adequadas:

1. Muitas pessoas que vivem em grandes cidades sonham com a vida no campo por que…
2. O jornal pode ser um excelente meio de conscientização das pessoas, a não ser que…

3. As mulheres vêm conquistando um espaço cada vez maior na vida social e política de muitos países, no entanto…
4. Muitas pessoas propõem a pena de morte como medida para conter a violência; outras, porém,…

5. Muita gente acha que arte é dispensável, mas…
6 . Devemos lutar para a preservação do meio ambiente, pois…
7. O lazer é necessário ao homem, no entanto…
8. Muitos são contra as pesquisas espaciais, por que…
9. Geralmente os alunos acham dificuldade em elaborar uma dissertação, pois…

Exercício 2:

Com base no exemplo a seguir, desenvolva as frases apresentadas, colocando argumentos que apóiem as idéias expressas:

Exemplo:

Idéia central – A poluição atmosférica deve ser combatida urgentemente.

Desenvolvimento – A poluição atmosférica deve ser combatida urgentemente, pois a alta concentração de elementos tóxicos põe em risco a vida de milhares de pessoas, sobretudo daquelas que sofrem de problemas respiratórios.

1. A propaganda intensiva de cigarros e bebidas tem levado muita gente ao vício.
2. A televisão é um dos mais eficazes meios de comunicação criados pelo homem.

3. A violência tem aumentado assustadoramente nas cidades e hoje parece claro que esse problema não pode ser resolvido apenas pela polícia.

4. O diálogo entre pais e filhos parece estar em crise atualmente.

5. O problema dos sem-terra preocupada cada vez mais a sociedade brasileira.

Enumeração – Caracteriza-se pela exposição de uma série de coisas, uma a uma. Presta-se bem à indicação de características, funções, processos, situações, sempre oferecendo o complemente necessário à afirmação estabelecida na frase nuclear. Pode-se enumerar, seguindo-se os critérios de importância, preferência, classificação ou aleatoriamente.

O parágrafo pode processar-se de diferentes maneiras:

Exemplo: O adolescente moderno está se tornando obeso por várias causas: alimentação inadequada, falta de exercícios sistemáticos e demasiada permanência diante de

Exercício 3:

Em seu caderno, coloque a frase núcleo. Abaixo dela, apenas enumere os elementos que completarão a frase. Depois monte um parágrafo.

Exemplo: Devido à expansão das igrejas evangélicas, é grande o número de emissoras que dedicam parte da sua programação à veiculação de programas religiosos de crenças variadas.

Enumeração

  1. A Santa Missa em seu lar
  2. Terço Bizantino
  3. Despertar da Fé
  4. Palavra de Vida
  5. Igreja da Graça no Lar

1. Inúmeras são as dificuldades com que se defronta o governo brasileiro diante de tantos desmatamentos desequilíbrios sociológicos e poluição.

2. Existem várias razões que levam um homem a enveredar pelos caminhos do crime.

3. A gravidez na adolescência é um problema seriíssimo, porque pode trazer muitas conseqüências indesejáveis.

4. O lazer é uma necessidade do cidadão para a sua sobrevivência no mundo atual e vários são os tipos de lazer.

5. O Novo Código Nacional de trânsito divide as faltas em várias categorias.

Comparação – A frase nuclear pode-se desenvolver através da comparação, que confronta idéias, fatos, fenômenos e apresenta-lhes a semelhança ou a dessemelhança.

Exemplo: “A juventude é uma infatigável aspiração de felicidade; a velhice, pelo contrário, é dominada por um vago e persistente sentimento de dor, porque já estamos nos convencendo de que a felicidade é uma ilusão, que só o sofrimento é real”. (Arthur Schopenhauer).

Exercício 4:

A partir das frases abaixo, desenvolver parágrafos com comparações.

  1. A tensão do futebol é igual à tensão da vida.
  2. Uma coisa é escrever como poeta, outra como historiador.
  3. Assim como as palavras, as expressões fisionômicas também têm a sua linguagem.
  4. Indubitavelmente, o vestibular pode ser comparado a uma angustiante corrida de obstáculos.
  5. Comparando-se o antigo Código Nacional de Trânsito com o atual, percebe- se claramente que a lei exige mais responsabilidade do motorista.

Causa e conseqüência – A frase nuclear, muitas vezes, encontra no seu desenvolvimento um segmento causal (fato motivador) e, em outras situações, um segmento indicando conseqüências (fatos decorrentes).

Exemplo 1: O homem, dia a dia, perde a dimensão de humanidade que abriga em si, porque os seus olhos teimam apenas em ver as coisas imediatistas e lucrativas que o rodeiam.

Exemplo 2: O espírito competitivo foi excessivamente exercido entre nós, de modo que hoje somos obrigados a viver numa sociedade fria e inamistosa.

Exercício 5:

Para cada assunto apresentado, redija um parágrafo dissertativo com relações de causa ou conseqüência.

1. O homem atua com vantagem sobre os outros animais pela sua capacidade de transformar elementos naturais em instrumentos de dominação.
2. A tecnologia desenvolveu meios que possibilitam a comunicação entre pessoas separadas por milhares de quilômetros.

3. Todo município conta, geralmente, com um sistema de tratamento da água a ser consumida pela população.
4. Na maioria dos povos primitivos e civilizados, o casamento monogâmico é encontrado com maior freqüência que o poligâmico.

5. A punição dos infratores está mais rigorosa e cara.

Tempo e Espaço – Muitos parágrafos dissertativos marcam temporal e espacialmente a evolução de idéias, processos.

Exemplo – Tempo: A comunicação de massas é resultado de uma lenta evolução. Primeiro, o homem aprendeu a grunhir. Depois deu um significado a cada grunhido. Muito depois, inventou a escrita e só muitos séculos mais tarde é que passou à comunicação de massa.

Exemplo – Espaço: O solo é influenciado pelo clima. Nos climas úmidos, os solos são profundos. Existe nessas regiões uma forte decomposição de rochas, isto é, uma forte transformação da rocha em terra pela umidade e calor. Nas regiões temperadas e ainda nas mais frias, a camada do solo é pouco profunda (Melhem Adas).

Exercício 6:

Partindo das frases nucleares abaixo, construir parágrafos dissertativos ordenados por tempo e espaço.

  1. Em todos os tempos, o mar tem exercido fascinante atração sobre o homem.
  2. O homem sempre buscou proteção ao longo de sua história.
  3. O Brasil conta com tipos de aficionados por vários esportes.
  4. As novelas brasileiras tentam mostrar não mais apenas o Rio de Janeiro, mas também outras regiões brasileiras.
  5. O homem sempre quis voar como os pássaros.
  6. O uso do cinto de segurança tem evitado mortes em acidentes de trânsito.

Explicitação – Num parágrafo dissertativo, pode-se conceituar, exemplificar e aclarar as idéias para torná-las mais compreensíveis.

Exemplo: A prática jurídica une-se à argumentação, compreendendo a inter-relação entre indivíduos que necessitam equacionar suas opiniões com vistas a uma decisão racional. Descobre-se assim, uma nova área de pesquisa capaz de fundamentar uma metodologia jurídica de orientação argumentativa. Foi assim que, em dado momento histórico, o direito fundamental à saúde aliou-se indissociavelmente ao direito à vida, este, cultuado em todas as constituições mundiais.

Exercício 7:

Explicitar as idéias contidas nas frases nucleares.

1. Cada pessoa define a seu modo, quais as pessoas que devem presentear, ecomoquê.

2. Os benefícios do esporte são muito apregoados hoje em dia.

3. A Internet é um auxílio rápido e eficaz às pesquisas escolares.

4. Uma mãe que vai buscar seu filho na escola pode somar muitos pontos e arcar com uma grande quantidade de dinheiro em multas, se não obedecer ao novo Código Nacional de Trânsito.

Exercícios micro estruturais: a dissertação científica da monografia de conclusão do curso

Antes de se iniciar a elaboração de uma dissertação, deve delimitar-se o tema que será desenvolvido e que poderá ser enfocado sob diversos aspectos. Se, por exemplo, o tema é a questão indígena, ela poderá ser desenvolvida a partir das seguintes idéias:

  1. A violência contra os povos indígenas é uma constante na história do Brasil.
  2. O surgimento de várias entidades de defesa das populações indígenas.
  3. A visão idealizada que o europeu ainda tem do índio brasileiro.
  4. A invasão da Amazônia e a perda da cultura indígena.

Depois de delimitar o tema que você vai desenvolver, deve fazer a estruturação do texto.

A estrutura do texto dissertativo constitui-se de:

Introdução – deve conter a idéia principal a ser desenvolvida (geralmente um ou dois parágrafos). É a abertura do texto, por isso é fundamental. Deve ser clara e chamar a atenção para dois itens básicos: os objetivos do texto e o plano do desenvolvimento. Contém a proposição do tema, seus limites, ângulo de análise e a hipótese ou a tese a ser defendida.

Desenvolvimento – exposição de elementos que vão fundamentar a idéia principal que pode vir especificada através da argumentação, de pormenores, da ilustração, da causa e da conseqüência, das definições, dos dados estatísticos, da ordenação cronológica, da interrogação e da citação. No desenvolvimento são usados tantos parágrafos quantos forem necessários para a completa exposição da idéia. E esses parágrafos podem ser estruturados de acordo com as seguintes finalidades:

Enumeração; Comparação; Causa e conseqüência; Tempo e Espaço; Explicitação.

Conclusão – é a retomada da idéia principal, que agora deve aparecer de forma muito mais convincente, uma vez que já foi fundamentada durante o desenvolvimento da dissertação. Deve, pois, conter de forma sintética, o objetivo proposto na introdução, a confirmação da hipótese ou da tese, acrescida da argumentação básica empregada no desenvolvimento.

Observe o texto Vida ou Morte:

TCC – Trabalho de Conclusão de Curso

95

INTRODUÇÃO A grande produção de armas nucleares, com seu incrível potencial destrutivo, criou uma situação ímpar na história da humanidade: pela primeira vez, os homens têm nas mãos o poder de extinguir totalmente a sua própria raça da face do planeta.
DESENVOLVIMENTO A capacidade de destruição das novas armas é tão grande que, se fossem usadas num conflito mundial, as conseqüências de apenas algumas explosões seriam tão extensas que haveria forte possibilidade de se chegar ao aniquilamento total da espécie humana. Não haveria como sobreviver a um conflito dessa natureza, pois todas as regiões seriam rapidamente atingidas pelos efeitos mortíferos das explosões.
CONCLUSÃO Só resta, pois, ao homem uma saída: mudar essa situação desistindo da corrida armamentista e desviando para fins pacíficos os imensos recursos econômicos envolvidos nessa empreitada suicida. Ou os homens aprendem a conviver em paz, em escala mundial, ou simplesmente não haverá mais convivência de espécie alguma, daqui a algum tempo. (Texto adaptado do artigo “Paz e corrida armamentista” in Douglas Tufano, p. 47).

Na introdução, o autor apresenta o tema (o desenvolvimento científico levou o homem a produzir bombas que possibilitam a destruição total da humanidade).

No desenvolvimento, ele expõe os argumentos que apóiam a sua afirmação inicial e na conclusão, conclui o seu pensamento inicial, com base nos argumentos.

Na dissertação, pode-se construir frases de sentido geral ou de sentido específico, particular. Às vezes, uma afirmação de sentido geral pode não ser inaceitável, mas se for particularizada torna-se aceitável. Exemplo: É proibido falar ao telefone celular (sentido geral). É proibido falar ao telefone celular dirigindo (sentido específico). Exercício 1
Faça as especificações das afirmações, tornando-as aceitáveis.

  1. A liberdade é perigosa.
  2. Caminhar faz mal ao coração.
  3. Assistir a televisão é prejudicial à criança.
  4. Conduzir motocicleta é proibido.

Quando o autor se preocupa principalmente em expor suas idéias a respeito do tema abordado, fica claro que seu objetivo é fazer com que o leitor concorde com ele. Nesse caso, tem-se a dissertação argumentativa.

Para que a argumentação seja eficiente, o raciocínio deve ser exposto de maneira lógica, clara e coerente.

O autor de uma dissertação deve ter sempre em mente, as possíveis reações do leitor e por isso, deve-se considerar todas as possíveis contra-argumentações, a fim de que possa “cercar” o leitor no sentido de evitar possíveis desmentidos da tese que se está defendendo.

As evidências são os melhores argumentos.

Exercício geral de dissertação:

Escrever textos dissertativos sobre os temas a seguir. Sugerimos aos professores que substituam os temas deste exercício, por temas de interesse da coordenação de trabalhos de conclusão de curso da sua instituição educacional.

  1. O menor abandonado
  2. A droga é uma droga
  3. O jeitinho brasileiro
  4. O mês da moleza
  5. O jornal serve para informar e para embrulhar
  6. O problema do menor é o maior
  7. A TV une e separa as pessoas
  8. O dinheiro não compra tudo
  9. Computador, a invenção do século
  10. Ser jovem hoje
  11. Legalização do aborto
  12. A atuação humana sobre a natureza
  13. A queda de qualidade no ensino oficial de I e II graus
  14. Os benefícios do esporte

Quer facilitar sua vida?

Gostou deste Post ? E agora que você aprendeu isso, o que achou? Deixe seu comentário!

Princípios Básicos da Correção de um Texto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat