As notas de rodapé são utilizadas para complementar alguma informação do texto (explicações pessoais do autor, por exemplo), para indicar fontes bibliográficas e ainda podem ser adotadas para definir conceitos e expressões, cujas inclusões no próprio texto interromperiam a seqüência lógica da leitura.

As notas de rodapé devem aparecer na margem inferior da página em que foram mencionadas, separadas do texto por uma linha contínua horizontal de 4cm, a qual é feita a partir da margem esquerda. Devem ser datilografadas em espaço simples e em letra menor que a do texto (fonte no 10).

Já entre duas notas de rodapé, deixa-se um espaço duplo. A nota de rodapé é sempre indicada por número sobrescrito que deverá ser repetido no rodapé da página.

As notas não devem ocupar mais de 50% do espaço total da página.

As notas de rodapé podem ser notas explicativas ou notas de referência. Assim temos:

Notas explicativas: são utilizadas para esclarecimentos, apresentação de comentários, explanações ou traduções que não devem ser incluídos no texto para não interromper as idéias do autor.

Notas de referência: as notas de referência indicam as fontes consultadas ou remetem a outras partes de um documento onde o assunto em questão foi abordado. A primeira citação de uma obra deve ter sua referência COMPLETA, já as demais poderão ser abreviadas com a utilização de expressões latinas tais como: Ibidem (na mesma obra) e Passim (aqui e ali, em diversas passagens), dentre outras (verifique o segundo capítulo Palavras ou Expressões Latinas Utilizadas em Pesquisa apresentado anteriormente).

Exemplos:

a ) No texto:
Num primeiro momento, reafirma a versão oficial de que o exército naquela ocasião, como de costume, apenas patrulhou a cidade. Sem qualquer amparo documental¹, vê-se vencida…

No rodapé:

1 A sua única fonte comprobatória é a seguinte: “Várias pessoas que moravam em Francisco Beltrão, na época, afirmaram isso, inclusive Walter Pecoits e Luis Prolo, que eram da comissão” (GOMES, 1986, p. 104).

b ) No texto:
KORMAN², citado por PASQUALI (1981, p. 54), afirma que outra variável que tem importância especial como característica de personalidade é a auto- estima, isto é, a extensão em que o indivíduo se percebe como competente, capaz e que pode prover a satisfação de suas necessidades.

No rodapé:

2 KORMAN, A. K. Task success, task popularity, and self-esteem as influences on task liking. J. Appl. Psychol., Washington, D.C., v. 52, n. 6, p. 484-490,

1968.

c) No texto:
Para DEMO (1998), ideologia significa o modo como justificamos posições políticas, interesses sociais e privilégios dentro da sociedade³.

No rodapé:

3 Comunicação pessoal do autor (24 de julho de 1998).

d ) No texto:
A dialética acredita que a contradição mora dentro da realidade (DEMO, 1998)³

No rodapé:
3 Carta pessoal do autor (24 de julho de 1998). e) Quando a obra é escrita por dois autores:

e) Havendo mais de três autores, utiliza-se a expressão “et al”:

No rodapé:

6 Elza Salvatori BERQUÓ et al., Bioestatística, p. 82.

f) Em citação de citação, isto é, idéias de um autor citado por outro, após o nome do autor da citação coloca-se o termo “apud”, seguido do nome do autor da obra:

No rodapé:

7 John DEWEY apud Franz Victor RUDIO, Introdução ao projeto de pesquisa científica, p. 17.

g) Quando em notas sucessivas, na mesma página, são citadas obras diferentes de um mesmo autor, o nome deste pode ser substituído pela expressão “Idem” ou sua abreviatura “Id.” (do mesmo autor):

No rodapé:

8 Mario Bunge, La investigación científica, p. 115.

9 Idem, Epistemologia, p. 37.

10 Idem, Teoria e realidade, p. 203.

h ) De forma semelhante, quando em notas sucessivas, sempre colocadas na mesma página, faz-se referência à mesma obra do autor, variando apenas a página de onde se tira a citação. Nesse caso além da expressão “Idem” utiliza-se “Ibidem” (na mesma obra), ou de forma abreviada “Ibid.”:

No rodapé:

11 Pedro DEMO, Metodologia científica em ciências sociais, p. 112.

12 Id., Ibid., p. 118.

13 Id., Ibid., p. 115.

i) op. cit. (Opus citatum, opere citato) :esta expressão latina pode ser usada somente em notas de rodapé, sempre colocada na mesma página indica, quando houver intercalação de outras notas, que se trata da mesma obra citada anteriormente.

No rodapé

14 SALGUEIRO, 1998, p. 19.
15 SMITH, 2000, p. 213.
16 SALGUEIRO, op.cit., p.40-43.

17 SMITH, op.cit., p. 376.

j) passim (aqui e ali) : esta expressão latina indica que a infomação foi retirada de diversas páginas do documento referenciado.

No rodapé

18 QUEIROZ, 1999, passim.
19 SANCHEZ; COELHO, 2000, passim.

k) loc. cit. (loco citato): esta expressão latina indica que a infomação foi retirada da mesma página de uma obra já citada anteriormente, mas com intercalação de notas.

No rodapé

20 FIGUEIREDO, 1999, p.19.
21 SANCHEZ; CARAZAS, 2000, p. 2-3. 22 FIGUEIREDO, 1999, loc. cit.

23 SANCHEZ; CARAZAS, 2000, loc. cit.

l) Cf. (confira, confronte): esta expressão latina deve se usada para recomendar uma consulta a um trabalho ou notas.

No rodapé

24 Cf. DIAS GOMES, 1999, p.76-99 25 Cf. nota 1 deste capítulo

m) et. seq. (sequentia; seguinte ou que se segue): esta expressão latina deve ser usada quando não se quer citar todas as páginas da obra referenciada.

No rodapé

26 DIAS GOMES, 1999, p.76 et seq. 27 FOUCAULT, 1994, p. 17 et. seq.

Quer facilitar sua vida?

Gostou deste Post ? E agora que você aprendeu isso, o que achou? Deixe seu comentário!

Notas de Rodapé

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat